Analytcs

terça-feira, 24 de maio de 2011

Concursos e a Arte da Guerra

Caros leitores,


 


Resolvi fazer um paralelo entre o livro "A arte da guerra" de Sun Tzu e os concursos públicos, talvez essa idéia nem seja nenhuma novidade (tenho certeza que gurus como o Wilian devem ter pensado nisso), meu objetivo também não é esgotar o tema, mesmo porque não seria possível, mas enfim segue minha visão.



 


Nos primeiros capítulos o autor basicamente fala de três pontos que de uma forma em geral permeará todo o livro: "Da avaliação", "Do comando da guerra" e "Da arte de vencer sem desembainhar a espada". Onde se versará sobre auto conhecimento tanto seu, quanto do oponente e da empreitada a ser enfrentada, que se deve focar tuas forças e agir sem demora.


 


Nos concursos, devemos também devemos buscar nos conhecer bem, qual método de estudo funciona melhor para mim? Quanto tempo tenho disponível? Se Como posso organizar melhor esse tempo? Qual o conhecimento prévio já possuo em relação a vaga que pleiteio? Estes são apenas alguns exemplos. Aqui você deve fazer  auto-avaliação  estruturar toda a sua filosofia de vida e carreira profissional em razão da sua nova meta. E atenção! Tem que ser a meta principal, não há mais espaço para amadores para as boas vagas na administração pública!!! Infelizmente serão necessários alguns sacrifícios mas os louros de uma carreira estável e bem remunerada, certamente compensarão... Outro paralelo é com a figura do samurai, guerreiro japonês em que a disciplina e a honra são fundamentais. O concurseiro tem que ser disciplinado e ter o sentimento de dever para com sua missão e até mesmo os colegas, pois ao contrario do que muitos pensam, seu maior concorrente é você mesmo e você deve compartilhar seus conhecimentos, dicas e materiais com seus colegas de jornada, pois assim muitos farão o mesmo criando um ciclo preparatório virtuoso.


 


E o "inimigo", paralelamente no nosso exemplo, será a banca responsável pela elaboração do concurso, então a conheça: Esta ligada à alguma faculdade? Como são cobradas as questões (por exemplo: nas matérias de Direito, observa a jurisprudência?) outra dica é acompanhar as publicações no portal da banca, como por exemplo no Jornal do CESPE, nº 19 foi publicado um artigo dizendo exatamente o que a banca busca em suas provas. Mas a dica principal é resolver questões das provas anteriores das bancas, muitas, muitas e muitas questões, claro que tem que utilizar essa informação de uma forma inteligente anotando os pontos que tem dificuldade, matéria abordada, etc.


As suas “armas” serão seu material de estudo. Nunca se limite apenas à apostilas, estas serão apenas o parâmetro para buscar novas pesquisas como livros, leitura de jurisprudência e exercícios, busque sempre aulas: sejam presenciais, on-line ou em áudio. Encare os gastos como investimento, e o leve a serio, pois se não nunca terá retorno no mesmo.


 


Por fim a "batalha" ou as batalhas, que serão os concursos, deverão ser escolhidos de acordo com a preparação que você vem fazendo, ou seja, com o cargo para o qual se prepara. Assim se esta tentando um cargo para juiz federal por exemplo, pode desviar entre um edital e outro, para cargos que abordem matérias correlatas, como analista do tribunal ou outros cargos en não precise mudar radicalmente sua linha de estudos. Isso ajudara a se manter motivado e certamente surgirão aprovações ao longo do tempo, até que você vença a GUERRA, alcançando o cargo que almeja.


 


Professor Darlan


 

0 comentários :

Postar um comentário